Coisas Da Vida !!!

A vida pode nos deixar de "boca aberta" em momentos e circunstâncias velhas, novas, iguais e diferentes

Primavera Marcada

by - 3:19 PM


Naquela primavera larguei os meus livros e fui com as meninas pro litoral. O penúltimo ano da faculdade era tenso, quase não sai e neguei todos os convites para a praia. Desta vez, eu realmente precisava relaxar. As assustadoras provas finais estavam logo na esquina, mas eu tinha pontuação suficiente para sentir as ondas massageando meus pés sem pirar.

A Patrícia e a Lucia ficaram bem animadas por curtirmos a praia juntas. Relembramos o primeiro ano da facul quando descíamos quase todos os finais de semana, ou pelo menos, uma vez por mês. Fazíamos questão de retocar o bronzeado, engraçado, mesmo no inverno usávamos esta desculpa.

A água estava morninha, o sol nada exagerado, eu amava praia na primavera. Nada é demais, tudo fica equilibrado. E aquela noite seria especial, decidimos dormir na praia. Sempre tivemos vontade de fazer isso, mas arrumávamos desculpas e não rolava. Desta vez, a Paty nos surpreendeu, pediu ajuda para pegar umas coisas no porta-malas e voilá: uma barraca. Demos risadas nos sentindo cúmplices daquela armação.

Bebemos, tagarelamos e ouvimos o mar enquanto tentávamos nos enxergar à luz da nossa micro fogueira. Incrível, nos filmes elas ficam muito maiores e melhores. Já no gole número não lembro qual surgiram três rapazes. Não nos assustamos por completo, a Lucia tinha visto eles se aproximando e eram os paqueras daquela mesma tarde.

Conversamos, gargalhamos, cantarolamos e até rolou uns beijos. Mas, paramos por aí. Foi muito bacana. Então, acordei surpreendida por cada dedo da minha mão direita marcada por aquele encontro: Oi (polegar), liga (indicador) pra (médio) mim (anelar) 99567-7895 (mindinho). Sorri! Ele fez da minha manhã mais memorável do quê nossa noite.

Eu realmente tinha gostado dele, mas como um romance de verão, não acreditava na durabilidade de um de primavera. Até olhar meus dedos. Eu estava enganada, pelo visto, para ele também foi mais do quê bacana.

Um ano depois comemorei a data com uma tatuagem na parte interna do mindinho direito: oi, liga pra mim. Hoje, cá estou eu escrevendo esta memória antes de dar o primeiro passo para mais alguns anos juntos e continuar criando novas memórias.

You May Also Like

0 comentários